Pages

Ads 468x60px

.

sexta-feira, 11 de julho de 2014

5 sinais que o útero dá quando algo não vai bem

Nem sempre os sinais de que o útero tem problemas são facilmente perceptíveis. Será que seu útero está dando sinais e você não percebe? Como saber se está tudo bem?

O útero é composto de duas partes principais:

A parte saliente, superior, chamada corpo do útero. A parte estreita, mais baixa, chamada colo ou cérvice.

As paredes do útero contêm três camadas: O recobrimento interno, chamado endométrio.

A camada muscular média, chamada miométrio. A camada externa serosa, chamada peritônio.

Este órgão fica muito bem escondido, então qualquer problema que surge não é facilmente detectável. Temos que estar atentas aos sinais que ele dá quando algo não vai bem. Visitar o ginecologista pelo menos uma vez por ano e fazer os exames preventivos é importante para a saúde de toda mulher.

Caso sinta algum tipo de desconforto, procure o médico. Não espere muito, pois todos os problemas são mais bem tratados no começo. Fique atenta, observe sempre a roupa íntima, dores ou secreções estranhas, são sinais de que algo não vai bem. Os sinais principais de problemas são:


1. Dor

A dor das cólicas até certo ponto é normal, pois são devidas às contrações uterinas para expulsar o sangue menstrual. Dores fora do período menstrual ou cólicas muito intensas que provocam vômito e prostração é motivo para procurar um médico. Pode ser endometriose (crescimento ou migração de tecido uterino para fora do útero), miomas ou câncer.

Dor (ou ardência) durante a relação sexual também deve ser investigada. Pode significar infecções genitais, endometriose ou doenças sexualmente transmissíveis.


2. Secreções

Ter corrimento vaginal é normal, principalmente para as mulheres em idade fértil. Durante a ovulação há a liberação do muco cervical. Este é límpido, transparente e gelatinoso. Geralmente as secreções normais são assim: límpidas, transparentes e incolores. Só será motivo de preocupação se houver cheiro forte, mudança na consistência e na cor, com rajas de sangue e se forem acompanhadas de dor ou febre, que pode denunciar algum tipo de inflamação cervical. Mulheres na menopausa diminuem as secreções vaginais e crianças antes da primeira ovulação não as têm.

3. Hemorragia ou amenorreia

Se o fluxo menstrual aumentar muito ou diminuir a ponto de não menstruar, é um importante sinal de alerta. Sangramento após a relação sexual pode ser câncer. Procure o ginecologista.

4. Dificuldade para engravidar

Pode ser endometriose, Síndrome dos Ovários Policísticos, disfunções na tireoide ou nas glândulas suprarrenais, DST-Doenças Sexualmente Transmissíveis ou tabagismo. São necessários exames e acompanhamento médico para correto diagnóstico.

5. Hipertrofia uterina

Aumento do volume do útero. O tamanho normal varia para as mulheres que nunca tiveram filhos e as que já têm um filho ou mais. É aceitável entre 40 cm³ como tamanho mínimo e 160 cm³ como tamanho máximo dentro da normalidade. Desconfie de hipertrofia se:

  • Aumentar o volume do fluxo menstrual
  • Presença de coágulos
  • Aumento da frequência urinária
  • Retenção da urina
  • Prisão de ventre
  • Inchaços nas pernas e varizes
o que causa hipertrofia?

Adenomiose

Crescimento de tecido do próprio útero por dentro da parede uterina.

Cistos

Formações benignas que em alguns casos causam dor e atraso da menstruação.

Mioma

É o tumor benigno de maior incidência no sexo feminino. É mais comum em mulheres negras, obesas e as que nunca tiveram filhos. Mulheres que se alimentam com alto índice de proteína animal (carne vermelha) têm duas vezes mais chance de desenvolverem miomas uterinos. Uma alimentação composta de legumes e verduras diminui as chances. Também no grupo de risco estão as diabéticas e as que têm histórico familiar de miomas.

O corpo sabe se expressar quando algo não vai bem. De uma maneira ou outra ele envia sinais. Cabe a nós estarmos atentas. Faça os exames preventivos regularmente e se houver dor, desconforto, mau cheiro ou qualquer outra anormalidade relativa ao seu útero, procure o seu ginecologista.

1 comentários:

  1. Amiga: Fizeste bem postar esta informação, para que a mulheres que lerem ter atenção aos sintomas que possam ter.
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir