Pages

Ads 468x60px

.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

POR QUE É TÃO DIFÍCIL EMAGRECER E MANTER O PESO?

Emagrecer não é das tarefas mais fáceis. E manter o peso depois de atingir determinado peso é ainda mais complicado. Muitos estudos que investigaram dietas para perda de peso observaram que quase todas atingem o objetivo inicial quando são seguidas de maneira “fiel. Ou seja, levam a perda de peso (e, claro, de adiposidade corporal). Mas, após certo período, é muito comum que a pessoa pare de emagrecer ou volte a ganhar peso. Com certa frequência, o ganho de peso é equivalente à perda anterior e pode, ainda, ser superior. Por que será que isso ocorre???

Já foram propostas algumas hipóteses de porque é tão difícil emagrecer e manter o peso alcançado. Mas, entre as mais aceitas hoje em dia estão duas: Dificuldade em manter e “acomodação” do organismo. O primeiro motivo, e talvez mais “óbvio” está na dificuldade em manter dietas restritivas. Mesmo quando a dieta não é muito hipocalórica, após algum tempo controlando a alimentação, se o indivíduo não vê grandes mudanças, ele desanima e acaba voltando a ingerir maiores quantidades de alimentos.Além disso, muitas das dietas para perda de peso são focadas na redução de algum macronutriente, em especial na redução de gorduras (dietas tipo “Low-fat”) ou na redução de carboidratos (dietas tipo “Low-carb” como Atkins e South Beach), o que dificulta ainda mais a manutenção por longos períodos. Em estudos comparativos, as dietas pobres em carboidratos foram mantidas mais facilmente do que as pobres em lipídios. Difícil imaginar por quê?
Não, nem um pouco. Gorduras são altamente palatáveis e para muita gente ter que deixar de comer arroz é beeeem mais fácil que deixar a picanha de lado. De um jeito ou de outro, ambas são eficientes para a perda de peso por períodos inferiores a um ano. Quando passamos de 10-12 meses os efeitos começam a deixar de existir e começam a aparecer os efeitos “adversos”. Isso porque dietas “low-fat” costumam levar a aumento dos triglicérides no sangue por conta do consumo compensatório de carboidrato refinados e dietas “low-carb” podem aumentar o colesterol LDL (ruim) e também o colesterol total. Ou seja, não importa a dieta que você está seguindo, saiba que tudo ficará mais difícil quando você estiver perto dos 10 ou 12 meses de seguimento. A maior parte dos estudos mostra que a ausência de perda e/ou o reganho de peso podem acontecer entre 6 meses e 2 anos, mas a média é sempre próxima de um ano. Portanto, esse período é crucial na manutenção da sua meta. 
A segunda razão proposta por estudiosos, e também bastante aceita, é de que o nosso organismo “se acostuma” com menor quantidade de energia (ou de algum nutriente) e passa a economizar mais energia. Com isso a perda de peso se torna mais difícil e, aos poucos, o mesmo consumo energético passa a ser mais bem aproveitado, gerando aquela estagnação ou reganho do peso corporal.

Ou seja, se você começou uma dieta e o peso estagnou, não desanime, porque é uma reação metabólica. O mais importante é manter o peso perdido e tentar aumentar o gasto energético para evitar o reganho. Não importa se você é adepto de uma ou outra dieta, o que vale é saber que dietas com pouca restrição de energia (até 1000 kcal) costumam funcionar melhor e que será difícil continuar emagrecendo após 6 meses seguindo a mesma dieta. Mantenha o gasto energético elevado, assim como sua disposição para seguir tentando...

fonte:http://www.professorheliosouza.com.br

2 comentários:

  1. Graça e Paz!
    Saiba de que forma emagreci 10kg em 30 dias.
    http://bit.ly/2nYllyremagreça

    ResponderExcluir
  2. Graça e Paz!
    Saiba de que forma emagreci 10kg em 30 dias.
    http://bit.ly/2nYllyremagreça

    ResponderExcluir