Pages

Ads 468x60px

.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

CUIDE DE VOCÊ


Poucas mulheres perguntam aos médicos qual é a forma correta de fazer a higiene íntima. Talvez nem seja por uma questão de timidez, mas, sim, pela simplicidade e até pelo fato de ser algo de certa forma instintivo. De fato é simples, mas também é importante que as mulheres conheçam muito bem o próprio organismo para cuidar bem dele.

“Como em todo nosso corpo, na vagina também há micro-organismos que protegem das infecções de fungos e bactérias. Por isso, é preciso estar atenta aos cuidados para não alterar essa flora e não destruí-los”, explica a ginecologista Lucila Nagata, do Hospital Regional da Asa Sul, em Brasília.

Assim, é importante permitir a respiração da pele dessa área.
Roupas muito apertadas e feitas de materiais sintéticos acabam impedindo a passagem de ar. “Aconselho deixar as peças mais justas para eventos mais esporádicos, e quando chegar em casa, trocar sempre por roupas folgadinhas”, observa a médica ginecologista e obstetra do Hospital São Luiz, em São Paulo, Mônica Resende. As mulheres têm ainda a opção de usar saias e vestidos.

As calcinhas também devem ser bem escolhidas. Mesmo se forem de materiais sintéticos ou mais sofisticados, como as rendas, observe sempre se o forro é de algodão. “Esse tecido auxilia na respiração da pele”, afirma Mônica. E completa: “Além disso, quando possível, prefira a cor branca, que é menos alergênica que os tecidos coloridos tingidos”.


Os principais problemas causados pela higienização incorreta são as infecções – da vagina e do trato urinário –, e os primeiros sinais são corrimentos, ardência e mau cheiro. “É muito mais comum esse tipo de infecção acontecer nas mulheres que, geralmente, seguram mais a urina por preferirem não usar banheiros públicos”, alerta Lucila. Se acontecerem alguns desses sintomas, é necessário procurar um especialista para que o problema seja avaliado.

 

Da maneira certa


Quando for tomar banho, sempre faça a limpeza primeiro da vagina e depois do bumbum. As duas áreas têm micro-organismos diferentes e é importante que eles não se misturem. Sabonetes íntimos são recomendados pelos médicos. “Eles ajudam a manter o equilíbrio da flora vaginal”, destaca a ginecologista Lucila Nagata.

"O ideal é fazer a higienização com água e sabonete, pelo menos, de uma a duas vezes por dia. E também sempre depois que evacuar", esclare Lucila. É essencial, ainda, que as mães orientem as filhas desde pequenas para que a higiene íntima correta se torne um hábito desde cedo.

0 comentários:

Postar um comentário