Pages

Ads 468x60px

.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

O QUE SIGNIFICA SEGUIR A JESUS?

Mc. 8. 34;9.1
Essa passagem é particularmente pesada e solene. Aquele que não se dispõe a carregar
a cruz não usará a coroa. A religião que não custa nada, não tem nenhum valor. Jesus
sabia que as multidões que O seguiam estavam apenas atrás de milagres e prazeres
terrenos e não estavam dispostas a trilhar o caminho da renúncia nem pagar o preço
do discipulado.
Jesus exige dos seus discípulos espírito de renúncia e sacrifício. Jesus nunca tratou de
subornar os homens oferecendo-lhes um caminho fácil.
Jesus só tem uma espécie de seguidor: discípulos. Ele ordenou a sua igreja a fazer
discípulos e não admiradores. Seguir a Jesus é o mais fascinante projeto de vida. O que
isto significa?

EM PRIMEIRO LUGAR, É UM CONVITE PESSOAL (8.34). “Se alguém quer”.
É preciso desinstalar-se. É preciso disposição para seguir a Cristo. É preciso romper
com todo obstáculo, preconceitos, vínculos pessoais, familiares, religiosos e estruturas
que nos paralisam.  Muitos querem apenas o glamour do evangelho, mas não a cruz.
Querem os milagres, as orações, mas não a renúncia. Querem prosperidade e saúde,
mas não arrependimento. Querem o paraíso na terra e não a bem-aventurança no céu.

EM SEGUNDO LUGAR, SEGUIR A JESUS É UM CONVITE PARA UMA
RELAÇÃO PESSOAL COM ELE(8.34).
Ser discípulo não é ser um admirador de Cristo, mas um
seguidor. Um discípulo segue as pegadas de Cristo. Assim como Cristo escolheu o
caminho da cruz, o discípulo precisa seguir a Cristo não para o sucesso, mas para o
calvário. Não há coroa sem cruz, nem céu sem renúncia.

EM TERCEIRO LUGAR, SEGUIR A JESUS É UM CONVITE PARA UMA RENÚNCIA    RADICAL (8.34). Cristo nos chama não para uma afirmação do eu, mas para sua
renúncia. Precisamos abdicar do nosso orgulho, soberba, presunção e autoconfiança
antes de seguirmos as pegadas de Jesus. Não se tratar de anulação pessoal, mas de
servir.
Negar-se a si mesmo é permitir que Jesus reine supremo onde o ego tinha
previamente exercido controle total. Em 1956, pouco antes de ser morto num
esforço de evangelizar os índios Aucas do Equador, o missionário Jim Elliot disse
o seguinte: “Não é tolo aquele que dá o que não pode manter para ganhar aquilo
que não pode perder”.

EM QUARTO LUGAR, SEGUIR A JESUS É UM CONVITE PARA MORRER (8.34)
Tomar a cruz é abraçar a morte, é seguir para cadafalso, é escolher a vereda do
sacrifício. A cruz era um instrumento de morte vergonhoso. “Era necessário que [...]
sofresse muitas coisas, fosse rejeitado” (8.31). A carta aos hebreus fala da crucificação
de Jesus com palavras fortíssimas: “Expondo-o a ignomínia” (Hb. 6.6), “o opróbrio
de Cristo” (Hb. 11.26),
“não fazendo caso da ignomínia” (Hb. 12.2).
Essa cruz fala da nossa disposição de morrer para nós mesmos, para os prazeres e
deleites: “Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele,
pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (Tg. 4.4). É
considerar-se morto para o pecado e andar com um atestado de óbito no bolso.

Por: Rev. Sinval Alves Martins

0 comentários:

Postar um comentário