Pages

Ads 468x60px

.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Câncer de Pele, o perigo que vem com o sol.







O câncer de pele é o mais comum entre os Cânceres e se manifesta de duas formas: os carcinomas, que têm uma incidência alta, de 70%a 80%, e os melanomas, que variam entre 5% e 7%. Mais frequente, o carcinoma tem malignidade baixa. Provoca grandes deformações, mas não leva à morte. Esta relacionado diretamente à exposição dos raios UVB e atinge pessoas de pele, cabelo e olhos claros. Tem crescimento lento, se manifesta em áreas expostas ao sol como face, braços, colo e mãos e, frequentemente, é indolor. Aparece através de nódulos e feridas que não cicatrizam.
Já o melanoma, que é a transformação malígna dos melanócitos (células produtoras de pigmentos), é o câncer que mais cresce no mundo, nos últimos dez anos aumentou 20%. O melanoma é uma doença, que se submetida a uma tratamento, é curavel. As pessoas, principalmente em países tropicais como o Brasil, se expõem excessivamente aos raios ultravioletas do sol, que são prejudiciais à epiderme (camada superficial da pele).
As exposições prolongadas ao sol estimulam a fabricação de óxido de colesterol (Substância que estimula os melanócitos, responsável pelo aparecimento dos melanomas) e é possível que as lesões se manifestem em regiões do corpo que não entraram em contato direto com o sol.
A arma mais eficaz contra o câncer de pele é manter-se bem longe dos rais solares, principalmente os ultravioletas (entre 10 e 15 horas). Em países onde o sol brilha sempre e onde se cultua o corpo e a cor bronzeada é muito difícil manter as pessoas longe do sol, por isso, o melhor para se previnir é recorrer aos filtros solares e consultar sempre um dermatologista
A exposição exagerada ao sol é um dos fatores, mas não é o único. O câncer de pele também é provocado por fatores genéticos e ambientais, como a destruição da camada de ozônio. Se não for tratado no início leva facilmente à morte pois pode causar metástase (çelulas deformadas que irradiam pelo sistema linfático e provocam tumores em outros órgãos.
O diagnóstico do melanoma é feito principalmente através de pintas preexistentes, que mostram sinais como mudança de cor e aspecto. Para examinar essas pintas e constatar alguma irregularidade, usa-se o método ABCD, que significa: assimetria (A), bordas irregulares (B), cor negra ou mista (C), e diâmetro maior que 0,8 cm (D). Se a pessoa tiver uma a pintadentro desse perfil, a visita ao médico é primordial e o tratamento é sempre cirúrgico.
Deve-se também observar o aparecimento de verrugas inchadas nas áreas mais expostas do corpo. Normalmente o raios ultravioletas são responsáveis por uma degeneração branda, que altera a camada superficial da pele, provocando descamações frequentes, mais conhecidas pelos médicos como queratose. A partir desse pré-câncer o excesso de sol pode atingir camadas mais profundas da pele, e como consequência o câncer de camada basal ou camada espinhosa.
As pintas na pele, também chamadas de nevus, são geralmente mini-lesõesque as pessoas nascem com elas. O problema ocorre quando a pintacomeça a crescer, mudar de aspecto ou transformar-se em uma ferida que não cicatriza. Pintas e manchas que surgem de repente tambémsão suspeitas e 45% dos melanomas se localizam nos nevus.
As pessoas de pele clara estão mais sujeitas a ter problemas de pele e devem dar atenção especial ao auto-exame por toda a área do corpo. As lesões não costumam doer ou coçar e são percebidas visualmente ou por biópsia, quando se extrai um pedaço da área atingida para exame laboratorial.







Qual o tipo de prevenção que se deve ter contra o Câncer de Pele?

A primeira providência que se deve tomar para evitar o câncer de peleé não se expor ao sol das 10 às 15 horas; é nesse intervalo que se formam os raios ultravioletas e que provocam os efeitos mais nocivos contra a pele, e nesse horário também são irradiados os raios do tipo b.
Os raios que precipitam o aperecimento de lesões cancerosas são especialmente os UV-B (Ultravioleta b - são raios de curto comprimento, com um nível de energia que permite rápido bronzeamento mas, pode provocar queimaduras graves)Eles atingem o núcleo das células que provoca mutação dos cromossomos. Normalmente as pessoas de pele clara que tomam sol constantemente sem usar filtro protetor, dificilmente deixarão de desenvolver um carcinoma (tumor de menor gravidade que o melanoma).
Já os UV-A (ultravioleta - são raios de longo comprimento, com baixo nível de energia, demora para bronzear e produzir queimaduras), são ótimos para bronzear, mas são causadores do envelhecimentoda pele. A longo prazo , além das rugas e flacidez, os UV-A também podem causar câncer cutâneo. Isso acontece pelo efeito acumulativo dos raios
O fator de proteção solar (FPS) é muito importante quando se pensa em tomar sol. Ele se relaciona diretamente com a qualidade e com a natureza dos filtros usados na elaboração do bronzeador. Por exemplo, se o bronzeador tiver FPS 6 significa que ele permite exposição ao sol um período seis vezes maior do que sem o uso do filtro solar. Veja na tabelaa baixo que tipo de filtro você deve usar para um bronzeamento seguro:






Cor da PelaSensibilidade ao solFator de proteção
muito claraForte+ que 8
ClaraForte6 e 7
Clara/MédiaModerada4 e 5
MédiaPouca2 e 3
Castanha/negraNenhuma2 e 3
Com o bronzeamento natural a produção de melanina aumenta e a pele age escurecendo para diminuir a penetração dos rais ultravioletas do sol. É uma defesa do corpo contra a ação do sol. Por isso para se adquirir um bronzeado e não uma queimadura é preciso fazer uma exposição gradual começando com um máximo de 15 minutos diários de exposição ao sol, não se esquecendo de evitar o horário crítico que é das 10 às 15 horas.

0 comentários:

Postar um comentário