Pages

Ads 468x60px

.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

COMO LIDAR COM A SINUSITE?


O tempo seco e as mudanças de temperatura que costumam ocorrer na transição do outono para o inverno podem ser os agentes responsáveis pela sinusite, uma das doenças respiratórias mais comuns dessa época do ano.
Ela é caracterizada por dois principais sintomas: dor ou pressão na face e congestão nasal.
Porém, essas sensações, às vezes, são confundidas com uma gripe forte; por isso, muita gente tem dúvidas sobre se sofre ou não do problema.
Com a ajuda da otorrinolaringologista Dra. Renata Lopes Mori, o Portal Vital preparou um guia com perguntas e respostas. Assim, você poderá entender o que é a doença e como agir diante dela. Afinal, informação é o melhor remédio!
O que é a sinusite e por que ela aparece?
O nome correto do diagnóstico é rinossinusite, uma inflamação do nariz e dos seios paranasais (espaços preenchidos de ar – localizados no interior dos ossos do crânio e da face – que se comunicam com a cavidade nasal). Existem dois tipos da doença:
a aguda, que dura menos de 12 semanas e pode ser viral (resfriado comum), pós-viral e bacteriana; e a crônica, quando persiste por mais de 3 meses.
Quais são os principais sintomas?
Geralmente, ocorre a obstrução ou congestão nasal e a diminuição ou perda do olfato, além da presença de secreção e dor ou pressão na face – a qual piora ao abaixar a cabeça. A Dra. Renata cita ainda a rouquidão, a tosse, entre outros sintomas gerais, como sonolência, mal-estar e febre. “Dor no ouvido, na arcada dentária superior e mau hálito também podem aparecer. Nas crianças, costuma haver ainda irritabilidade, fadiga, náuseas e vômitos”, complementa a especialista
Existe cura?
Depende do paciente e do tipo de sinusite. “Normalmente, há cura com resolução total da rinossinusite aguda. E o tratamento baseia-se na aplicação de sprays nasais, na lavagem nasal com soro fisiológico e no uso de antibióticos”, conta a médica.
Em relação à sinusite crônica, é possível apenas o controle por tratamento?
Nesse caso, o tratamento é mais prolongado e a cirurgia pode ser necessária. Segundo a Dra. Renata, “Alguns pacientes conseguem ser curados, enquanto outros obtêm somente o controle da doença, com períodos de aparecimento da fase aguda”.
Como pode ser feita a prevenção?
Conforme alerta a doutora, “É importante criar o hábito de lavar a cavidade nasal com soro fisiológico”. Outros cuidados gerais com a saúde também são fundamentais. Entre eles, não frequentar ambientes fechados e lotados, manter uma boa alimentação e hidratação, além de evitar irritantes nasais, como cheiros fortes, perfumes, pós ou produtos químicos.

1 comentários:

  1. Disseste bem, a mudança do tempo complica tudo. Agora, então, com esse friozinho que começa a apontar para a secura, todo cuidado é pouco.

    Um abraço!

    ResponderExcluir