Pages

Ads 468x60px

.

sábado, 19 de novembro de 2011

O Casal Cristão e o Prazer Sexual

Segundo pesquisas brasileiras, um terço das mulheres nunca experimentaram o orgasmo e outro um terço, chegaram ou chegam ao orgasmo em algumas relações sexuais.

Partindo do pressuposto cristão de que as relações sexuais devem se dar no contexto do casamento (Hb 13.4) queremos fazer algumas reflexões sobre o tema.

Em primeiro lugar, como cristãos devemos deixar de lado a idéia de que não temos direito a essa bênção. O cristianismo foi influenciado negativamente pela teologia agostiniana que afirmava ser o sexo um mal necessário. 

Precisamos cultivar a idéia de que Deus criou o sexo para a procriação, é verdade, mas também o criou para que homem e mulher sentissem prazer no corpo um do outro. Para fortalecer essa idéia, Deus fez com que o livro de Cantares de Salomão fosse incluído na lista dos livros inspirados.

Em segundo lugar, a construção da satisfação sexual deve passar por nós mesmos. Refiro-me à importância de cada um conhecer seu próprio corpo. Conhecer, por exemplo, os seus órgãos sexuais, suas áreas erógenas mais sensíveis. Não estou me referindo à masturbação. Conhecer seu próprio corpo se dá quando nos tocamos, quando lemos a respeito da sexualidade humana.

Em terceiro lugar, o casal que deseja experimentar o prazer sexual deve praticar a comunicação franca sobre o que lhe causa prazer e o que lhe desagrada. Quando um casal mantém um diálogo aberto sobre sua vida sexual, com certeza terão muito prazer.

Outro fator importante é saber que ambos, marido e esposa, têm direito a esse prazer sexual. Paulo, o apóstolo, deixou esse ensinamento quando escreveu que o marido deve proporcionar prazer sexual à sua esposa e essa ao marido (1Co 7.3). 

Como afirmamos anteriormente, parece-nos que esse privilégio tem sido, na sua maioria, só dos homens. 

Por último, não devemos associar o prazer sexual somente ao orgasmo. Sem dúvida, o orgasmo é o topo do prazer, mas para chegar a esse topo o caminho também é muito prazeroso e deve ser vivenciado intensamente pelos casais.

À luz dessas reflexões, termino lembrando o texto de Eclesiastes 9.7: “Goza a vida com a mulher que amas, todos os dias da sua vida...”

fonte:http://www.montesiao.pro.br

0 comentários:

Postar um comentário