Pages

Ads 468x60px

.

sábado, 3 de setembro de 2011

Conflitos Conjugais



Texto: Gn.30.1-2



Introdução: Jacó e Raquel se amavam. Entretanto, o amor não garante a ausência de conflitos. O amor não impede a ira. Ocasionalmente, ficamos irados com as pessoas mais próximas, mais íntimas, principalmente com aquelas a quem amamos.


1- O motivo da ira.

Raquel, sendo estéril e sentindo inveja de sua irmã Lia, exigiu que Jacó lhe fizesse conceber.


As comparações e a inveja podem trazer exigências absurdas, mesmo que o desejo seja legítimo. 


O excesso de exigências pode causar problemas conjugais. Aquele pedido estava além do alcance de Jacó.


É preciso que cada cônjuge compreenda as limitações do outro.

2- O controle sobre a ira.

A ira não é pecado, mas a maneira como agimos quanto estamos irados pode ser.

Caim irou-se contra Abel e o matou pois não o amava. Jacó teve controle sobre sua ira e não tomou nenhuma atitude pecaminosa.

Conclusão:
 Deus curou a esterilidade de Raquel e lhe deu um filho: José (30.22-24).
As dificuldades conjugais devem ser levadas a Deus em oração. A ira passa mas o amor permanece (cf. Salmo 30.5).

  

0 comentários:

Postar um comentário